GuiaDigital.info
Produtos & Serviços Ver Categorias Notícias Agenda
   
   Ajuda

 

 

 


Saúde

Saliva: importância na prótese total

Data:31/07/2007 - 16:33

Cidade:Panambi - RS

A saliva tem grande importância na retenção das próteses totais e no conforto do paciente ao usá-las. Medicamentos e idade são os fatores que estão mais comumente envolvidos com a diminuição da secreção salivar. Os tratamentos são na sua maioria paliativos e incluem o uso de medicação sistêmica, enxaguatórios e lubrificantes orais e a remoção da prótese quando possível.

A película de saliva interposta entre a mucosa e a base das dentaduras é muito importante, pois se evidenciam vários problemas que podem afetar os pacientes que utilizam próteses totais e apresentam diminuição do fluxo salivar. Entre esses problemas os mais freqüentes são: relato de dor, ulceração dos tecidos submetidos à ação das próteses, retenção diminuída, sensação de queimação, alteração na percepção do gosto, dificuldade de mastigação e deglutição (ALBANESI & VILLANI, 1989).

Alguns fatores alteram o fluxo salivar podendo diminuir ou em alguns casos aumentar. Os principais fatores citados em literatura são: a idade, doenças e o uso de medicamentos ou a soma deles.

Segundo ATRINSON & WU (1994) cerca de 400 medicamentos podem estar associados com xerostomia (diminuição do fluxo salivar). Estes autores destacam os medicamentos com atividade anticolinérgica como potente inibidor da saliva. Muitos sedativos, antipsicóticos, antidepressivos, antihistaminicos e medicamentos anti-refluxos que medicamentos com efeito anticolinérgio.

A xerostomia é uma queixa bastante comum em indivíduos sob terapia anti-hipertensiva. A hidroclorotiazida(HCTZ ) e a furosemida são dois diuréticos usados para diminuir o volume cardiovascular e que são suspeitos de alterar a função salivar (STRECFUS,1995).

Os relatos de xerostomia são comuns nos pacientes geriátricos, (BRUNETTI & MONTENEGRO,2002) afirmam que com o avanço da idade, ocorre uma diminuição do fluxo salivar e que isto interfere também no paladar, na umectação do bolo alimentar durante a mastigação e posterior deglutição, e no grau de adaptação das próteses totais.

Além da idade e dos medicamentos, que às vezes são muitos com o passar da idade, várias outras condições locais e sistêmicas podem provocar xerostomia. CHEN & DALY ( 1979) citam os seguintes fatores: Síndrome de Sjögren, Tumor de Mikulicz, deficiência de vitamina A, B2, B12, anemia férrica ou perniciosa, Diabetes Mellitos ou Insipidus, irradiação na região de cabeça e pescoço, obstrução dos ductos das glândulas salivares, respirador bucal...

O tratamento da xerostomia dependerá da natureza dos sintomas. Todo paciente que tiver reclamado que sente sua boca seca, deve ser examinado e interrogado sobre a sua história médica: se faz uso de algum medicamento, se está recebendo irradiação, se é respirador bucal, apresenta doenças sistêmicas.

Portanto, identificar a alteração de fluxo, bem como os fatores que podem desencadeá-la e buscar amenizar ou tratar é função do cirurgião-dentista  pois a instalação de próteses doloridas e pouco retentivas fará com que o paciente provavelmente acabe não usando-as, trazendo-lhe danos financeiros e psicológicos, ou usará mesmo assim, com muito desconforto e pouca eficácia do aparelho protético.

Gabriela Fantinel Bisognin
Cirurgiã Dentista



 

Panambi - Ijuí - Cruz Alta - Santa Bárbara do Sul

Voltar a capa das Notícias

Visitantes:








© Copyright 2018, GDI Multimídia | Proibida sua reprodução total ou parcial